O movimento voltou mas ônibus das linhas da Piedade ainda circulam com horários reduzidos

136
Foto: Divulgação Transpiedade

Quando foi declarada a pandemia do novo coronavírus no ano passado vários impactos foram sentidos na cidade, medidas que privilegiavam o distanciamento social foram tomadas como o fechamento de comércio e escolas, o objetivo era reduzir a circulação de pessoas e com isso reduzir o contágio do vírus, no entanto o transporte público sempre foi um problema como contamos aqui no Portal N34.

Com o esperado fluxo menor de pessoas a quantidade de ônibus em circulação também foi reduzida, no entanto muitas vezes – mesmo assim – ainda se registrava lotação nos ônibus. Mas e agora que o movimento está voltando ao normal, inclusive com a volta do ensino presencial nas escolas, os ônibus também não deveriam voltar ao normal?

Não é o que muitos usuários do transporte público em Campo Largo tem notado, mesmo com o retorno das atividades e um grande fluxo de pessoas na cidade, os horários dos ônibus da empresa Piedade ainda estão reduzidos em muitas linhas gerando imensos transtornos para a população, que além de ter que esperar mais, ainda continua em ônibus lotados, abaixo os horários dos ônibus da linha Partenope antes da pandemia.

Horários dos ônibus da linha Partenope antes da pandemia

Vale lembrar que antes da pandemia já eram registradas dificuldades no transporte público em Campo Largo como demora dos ônibus e lotação, na tabela acima os horários dos ônibus da linha Partenope antes da pandemia registravam 31 saídas do terminal urbano, abaixo os horários divulgados atualmente pela empresa, registram apenas 24 saídas do terminal urbano da cidade, uma redução considerável para uma linha tão movimentada.

Horários atuais da mesma linha conforme divulgado pelo site da empresa de ônibus Piedade

E o problema, segundo muitos usuários do transporte público persiste em muitas outras linhas, existem linhas inclusive que foram extintas nesse período e que jamais voltaram a funcionar como a linha Veneza. Agora a pergunta que fica é: Não seria necessário com a volta do movimento as linhas voltarem a operar pelo menos como antes da pandemia?

Na verdade pelo relato de alguns usuários seria necessário até ter mais ônibus e em mais horários do que antes da pandemia, uma vez que o serviço já não era totalmente satisfatório e pior ainda é caro, o valor da passagem pesa muito no bolso do trabalhador. Campo Largo segue na contramão da cidade vizinha Araucária por exemplo, onde o valor da passagem tem baixado, na nossa cidade o valor só tem aumentado e o serviço piorado, será que as autoridades tomarão alguma providencia para melhorar a vida dos trabalhadores que necessitam do transporte público?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui